A acne vulgar é uma dermatose (doença de pele) crônica em que ocorre por conta do bloqueio dos folículos pilosos da pele devido ao acúmulo de queratina, sebo e a presença de microrganismos, como a  Propionibacterium acnes que é a principal bactéria envolvida nessa doença. Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, existem 5 tipos de graus da acne: grau I que é caracterizado pela presença de comedões (cravos), grau II que é definido pela presença de pápulas (espinha) e pústulas (pus), grau III que é indicado pela presença de cistos (pápulas e pústulas inflamados), grau IV que possui pápulas e pústulas com formato de “túneis” e grau V que possui características do grau III e IV e geram febre, dor nas articulações.

A forma de tratamento mais comum da acne é o uso de isotretinoína, entretanto, é de cunho científico que o uso desse medicamento pode elevar LDL, triglicerídeos, colesterol total e diminuir HDL, que são marcadores bioquímicos responsáveis pelo perfil lipídico e pode aumentar ALT e TGP que são marcadores de danos hepáticos. Para minimizar esses efeitos, estudos científicos comprovam que a suplementação de óleo de prímula em indivíduos que utilizam a isotretinoína é eficaz para controlar o perfil lipídico e evitar danos hepáticos, pois o óleo de prímula contém o ácido gama linolênico (GLA) devido sua ação anti-inflamatória e, assim, consegue regular as prostaglandinas E1 e IGBP-3 que são desregulados em indivíduos com acne.

A etiologia (origem) da doença é multifatorial e a suplementação é eficaz não apenas para minimizar os danos dos medicamentos, mas para tratar o aparecimento das acnes. Para saber qual suplemento alimentar utilizar, é importante compreender a etiologia, como:

Fatores hormonais: na fase da puberdade existe a produção excessiva de dihidrotestosterona (DHT) e a suplementação de zinco é eficaz em inibir a enzima 5-alfa-redutase que é responsável pela produção de DHT que aumenta a produção de sebo e, assim, diminuindo o aparecimento das acnes. Além disso, estudos científicos comprovam que mulheres com Síndrome do Ovário Policístico (SOP) têm aumento de fator de crescimento semelhante à insulina tipo 1 (IGF-1) que é responsável pelo aumento de sebo, queratina e inflamação na pele e essas mulheres ao suplementar com ômega 3 e\ou óleo de prímula, ocorre uma diminuição do IGF-1, diminuindo o aparecimento das acnes.

Alimentação: alguns indivíduos ao consumir\ingerir alimentos ricos em carboidratos e\ou leite e derivados (como a whey protein) podem aumentar IGF1 e desregular IGFBP3, essa desregulação é denominada como hiperinsulinemia (aumento da insulina) que aumenta a produção de sebo e, como consequência, gera inflamações como a acne. Dados científicos comprovam que ao suplementar ômega 3 (EPA E DHA) e\ou óleo de prímula (GLA) conseguem evitar o aparecimento da acne, pois os ácidos graxos insaturados (EPA, DHA e GLA) conseguem diminuir IGF1.

Estresse: Alguns dados comprovam que o estresse é um dos principais fatores do aparecimento das acnes por aumentar a produção de sebo. Entretanto, é possível diminuir o estresse através de alguns micronutrientes, como o magnésio, triptofano e vitamina B6 que possuem participação na produção de serotonina, um hormônio responsável pela felicidade e regula o estresse, assim, evita e diminui o surgimento de acne.

Disbiose intestinal: a disbiose intestinal aumenta a permeabilidade intestinal, gerando um aumento excessivo de inflamação e produzindo em demasia sebo e queratina. Estudos vêm demonstrando que o uso de probióticos, principalmente Lactobacillus rhmnosus é eficaz para o tratamento por corrigir a disbiose intestinal e regular TLR2 e TLR4 que são receptores responsáveis pela inflamação.

Deficiência nutricional: A literatura científica demonstra que a deficiência de vitamina D pode contribuir para o aparecimento de acne por aumentar IL6 e IL8 que são interleucinas responsáveis pela inflamação e a suplementação de vitamina D é eficaz para diminuir essas interleucinas e tratar a acne dos indivíduos com deficiência.

Diante do exposto, para saber qual suplemento alimentar utilizar, é importante compreender a etiologia da doença (fatores hormonais, disbiose intestinal, deficiência nutricional, estresse ou alimentação) para conseguir ter um tratamento seguro e eficaz.

 

Esse texto foi escrito por Luana Carvalho (@luacarvalhonutri), baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido. Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail: nutricao@certosaude.com.br

Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione.

Posts Similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *