O whey protein é amplamente reconhecido por seus efeitos benéficos na hipertrofia muscular, atuando através de diversos mecanismos que contribuem para o crescimento e recuperação dos músculos. Primeiramente, o whey protein estimula a síntese proteica muscular (MPS), que é o processo de construção de novas proteínas musculares. Esse estímulo é em grande parte devido à alta concentração de aminoácidos essenciais, particularmente a leucina, que é um potente ativador da MPS.

A sinalização mTOR (mammalian target of rapamycin) é um dos principais caminhos celulares que regulam o crescimento muscular. A leucina presente no whey protein ativa diretamente a via mTOR, promovendo a síntese de proteínas e, consequentemente, a hipertrofia. Além disso, a ingestão de whey protein após o treino aumenta os níveis de insulina, um hormônio anabólico que facilita a absorção de aminoácidos pelas células musculares e também ativa a via mTOR.

O whey protein também tem um efeito anti-catabólico, o que significa que ele ajuda a reduzir a degradação das proteínas musculares. Isso é particularmente importante após exercícios intensos, quando o corpo está em um estado catabólico. A rápida absorção do whey protein fornece os aminoácidos necessários para reparar e construir novos tecidos musculares, promovendo a recuperação muscular.

Além disso, o whey protein contém peptídeos bioativos que têm vários efeitos benéficos para a saúde muscular e geral. Alguns desses peptídeos possuem propriedades anti-inflamatórias, ajudando a reduzir a inflamação causada pelo exercício intenso, o que pode acelerar a recuperação muscular.

A retenção de nitrogênio é outro aspecto crucial. O nitrogênio é um componente essencial dos aminoácidos, e um balanço positivo de nitrogênio indica que o corpo está em um estado anabólico, favorável ao crescimento muscular. O whey protein, sendo rico em aminoácidos, contribui para essa retenção de nitrogênio.

O whey protein também pode estimular a produção de IGF-1 (Insulin-like Growth Factor 1), um hormônio que promove o crescimento muscular e a recuperação. O IGF-1 é conhecido por sua capacidade de aumentar a síntese de proteínas e estimular a proliferação e diferenciação das células musculares.

Por meio dos mecanismos de ação mencionados, diversos estudos têm demonstrado que a suplementação de 20-40g de whey protein, associada ao exercício físico e a um controle dietético adequado, apresenta resultados significativos para: aumento da massa muscular ; melhora da força muscular; recuperação muscular acelerada; redução da degradação muscular; melhora na composição corporal; maior retenção de nitrogênio; melhora da sensibilidade à insulina; estimulação de IGF-1 e redução da inflamação pós-exercício.

Esse texto foi escrito por Breno Prachedes @breno_prachedes, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido. Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@certosaude.com.br. Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos, mencione o nome do autor e do site, por favor. Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por @certosaude)

Posts Similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *